Por que a queda da Selic facilita a tomada de empréstimos?

Por que a queda da Selic facilita a tomada de empréstimos?

Com as frequentes reduções da Selic nos últimos meses, tem sido comum ouvir de especialistas em finanças que o momento atual é favorável a tomada de crédito. No entanto, muitos ainda não sabem o que isso significa exatamente.

Como já foi dito em outro artigo, a Selic é a taxa básica de juros da economia, que é definida pelo COPOM (Comitê de Política Monetária). As variações que ocorrem são necessárias para equilibrar a inflação. Às vezes é necessário aumentar os juros para conter a tomada de crédito, reduzir o consumo, etc.

Parece contraditório mas não é. Com taxas de juros mais baixas, as pessoas começam a recorrer a empréstimos e financiamentos com mais frequência, mesmo sem condições de pagar e o mercado nunca está preparado para isso. Isso também pode gerar inadimplência no futuro.

O que acontece com a redução da Selic?

Quando o COPOM reduz a Selic, os bancos ficam com uma margem maior para negociar os juros das suas linhas de crédito. Ou seja, o “desconto” é repassado para os clientes.

Na última redução da Selic, em outubro, foi feito um corte de 8,25% para 7,5%. Segundo especialistas, a expectativa é que ainda haja uma nova redução, caindo para 7% em dezembro.

Além da redução dos juros sobre financiamentos, a inflação também sobre influência da Selic. Em 2016 a inflação fechou o ano com 6,29%. A previsão para esse ano é de 3,06%. A inflação baixa significa menores preços para o consumidor, ou seja, está dando para comprar mais, pagando menos.

Com a última redução da Selic, alguns bancos já anunciaram reduções de suas taxas de juros em diversas linhas de crédito, incluindo imóveis. Portanto, se você pretende adquirir sua casa própria e necessita de financiamento, esse é um bom momento para dar esse passo.

Para 2018 ainda não há uma previsão se a Selic continuará caindo ou não. Por via das dúvidas, é melhor aproveitar agora do que contar com a sorte, não é?